Início » Uncategorized » Sem diploma Braz critica decisão da Justiça Eleitoral

Sem diploma Braz critica decisão da Justiça Eleitoral

Em nota oficial, distribuída à Imprensa no início da noite, o candidato Braz Paschoalim, que esperava ser diplomado como prefeito eleito pela Justiça Eleitoral, criticou a atuação do Cartorio Eleitoral de Jandira, que segundo ele não deveria diplomar o agora prefeito Julio Eduardo de Lima, mas sim ele. A alegação é que o processo que cassou seu registro não foi transitado e julgado. Um comportamento estranho, já que a decisão foi em cumprimento a uma nota normativa proveniente do TSE que orientou os juizes eleitorais a diplomar apenas quem tivesse o registro deferido, o que não é o caso de Braz.

Apesar de reconhecer a derrota no judiciário, ele diz esperançoso quanto a apreciação do Agravo Regimental impetrado em 09 de dezembro, que será votado nesta quinta-feira. 18/12 em Brasília, pelo Tribunal Superior Eleitoral(TSE). Braz espera que a decisão monocrática que cassou seu registro seja revertida e a verdade prevaleça.

Segundo informações da assessoria, Braz teria  viajado para Brasília, onde espera ter sucesso em reverter a decisão. Segundo seus advogados, se perder o Agravo Regimental e irá recorrer junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Como o Blog do Mack adiantou dias atrás, em entrevista com a advogada Dr Kelly Mory, a decisão monocrática dificilmente será revertida, pois os advogados de Braz  terão a difícil tarefa de convencer o ministro Eros Grau de reformar sua decisão e ainda convencer os demais ministros á segui-lo.

Votos anulados

Apesar de crítica,  a decisão do Cartório Eleitoral de Jandira fez hoje o reprocessamento dos votos das eleições e a votação recebida por Braz foi anulada, ou seja, não entra na soma, pois para a Justiça Eleitoral ele não era candidato, e portanto o primeiro colocado foi  Julinho e o segundo Doutor Henri Sato –  (Dr Sato).

Contas de campanha rejeitadas

A situação ruim que passa o ex-prefeito parece não ter fim, em documento expedido pela Justiça Eleitoral mostra que as contas da campanha do candidato tiveram problemas, sendo rejeitadas pelo tribunal. Segundo a Lei Eleitoral contas de campanha rejeitadas também impedem que ele seja diplomado, se por acaso ele tenha o agravo aceito pelo TSE.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: